DOI: 10.17151/eleu.2021.23.1.10
Cómo citar
Seabra Eiras A. A. L. T., Avelar De Oliveira A. L., Condé Teixeira F., & Gualberto Marçola L. P. (2021). Práctica y experiencia profesional en Trabajo Social brasileño: fundamento teórico, aproximaciones y diferencias. Eleuthera, 23(1), 180-201. https://doi.org/10.17151/eleu.2021.23.1.10

Autores/as

Alexandra Aparecida Leite Toffanetto Seabra Eiras
Campus Universidade Federal de Juiz de Fora
alexandra.eiras@ufjf.edu.br
http://orcid.org/0000-0003-4095-7950
Perfil Google Scholar
Ana Luiza Avelar De Oliveira
Campus Universidade Federal de Juiz de Fora
analuiza_avelar@yahoo.com.br
http://orcid.org/0000-0002-3999-1708
Perfil Google Scholar
Fernanda Condé Teixeira
Campus Universidade Federal de Juiz de Fora
fernandaconde97@gmail.com
http://orcid.org/0000-0003-2005-4252
Perfil Google Scholar
Laura Pires Gualberto Marçola
Campus Universidade Federal de Juiz de Fora
lauragmarcola@gmail.com
http://orcid.org/0000-0001-6599-0787
Perfil Google Scholar

Resumen

Objetivo. Presentamos los resultados de la investigación “Fundamentos teórico-metodológicos y posicionamiento ético-político en Trabajo Social: acción profesional críticamente referenciada hoy”. Analizamos los términos “práctica” y “experiencia”, a partir de concepciones y fundamentos teóricos utilizados por los autores. Metodología. Se analizaron 30 artículos, publicados en revistas del área de Trabajo Social en Brasil, de 2006 a 2016 y 3 tesis encontradas en el portal CAPES (2013-2019), redactadas por trabajadores sociales, cuyo contenido indicó la centralidad de los términos práctica y experiencia para referir a la acción profesional. También analizamos la relación entre “práctica” y “experiencia”, para comprender las similitudes y diferencias en la apropiación de estas terminologías. Resultados y conclusión. Encontramos que el abordaje de la práctica profesional, tema tratado en Trabajo Social desde la década de 1970, revela un cúmulo teórico que permite una mejor aprehensión del término, mientras que la discusión sobre la concepción de la experiencia profesional aún necesita mayor fundamento teórico.

Baptista, M. V. (2009). Prática social/prática profissional: a natureza complexa das relações profissionais cotidianas. Em O. Battini, (Ed.) A prática profissional do assistente social: teoria, ação, construção de conhecimento. São Paulo: Veras.

Battini, O. (Ed.). (2009). A prática profissional do assistente social: teoria, ação, construção de conhecimento. São Paulo, Brasil: Veras.

Campos, L. D. S. e David, C. M. (2010). O profissional de serviço social no ambiente escolar, uma vivência prática. Serviço Social e Realidade, 19(1), 269-294.

Cress-RJ. (2014). A experiência da Comissão de Educação do Conselho Regional de Serviço Social do Rio de Janeiro. Ser Social, 16(34), 187-208.

Eiras, A. A. L. T. S., Pereira, J. A. C., Santos, J. M. R., Pontes, N. A. E., Martins, R. H. O. (2018) O trabalho profissional e sua fundamentação teórica na produção acadêmica do Serviço Social (2006-2016): assistência social e saúde. XVI ENPESS, Vitória, Brasil.

Eiras, A. A. L. T. S, Martins, E. A., Pereira, J. A. L. P., Pereira, J. A. C., Ferreira, L. A. e Pontes, N. A. E. (2019). Serviço Social e ação profissional crítica. Juiz de Fora: Brasil, Editora UFJF.

Faleiros, V. de P. (2009). Uma experiência de supervisão na área psicossocial: desafios teóricopráticos. Katálysis, 12(2), 258-267.

Fernandes, T. F. S., Mesquita, S. T. e Graciano M. I. G. (2012). O Assistente Social no Programa de Implante Coclear do HRAC/USP. Serviço Social e Saúde, 11(1), 99-112.

Fernandes, J. C. (2017). A prática social na saúde mental (tese de doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil.

Giampaoli, M. C. (2013).Serviço Social em empresas:consultoria e prestação de serviço.Serviço Social Sociedade, 114, 266-289.

Iamamoto, M. V. e Carvalho, R. (1982). Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. São Paulo, Brasil: Cortez.

Iamamoto, M. V. (1998). O Serviço Social na Contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo, Brasil: Cortez.

Iamamoto, M. V. (2008). Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo, Brasil: Cortez.

Juncá, D. (2012). A teoria é uma coisa, mas a prática pode não ser outra. O Social em Questão, 27, 179-192.

Kameyama, N. (1998). A trajetória da produção de conhecimentos em Serviço social: Avanços e Tendências. Cadernos Abess, 8(8), 33-76.

Lima, N.C. (2018). Serviço Social em dois tempos: a experiência como destinatário do trabalho do assistente social e sua ressignificação quando profissional da área (tese de doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil.

Machado, G. S. (2010). O Serviço Social nas ONGs no campo da saúde: projetos societários em disputa. Serviço Social Sociedade, 102, 269-288.

Moraes, C. A. S. (2013). A “viagem de volta”: Significados da pesquisa na formação e prática profissional do Assistente Social. Serviço Social Sociedade, 114, 240-265.

Moraes, C. A. S. (2015). A particularidade da dimensão investigativa na formação e prática profissional do assistente social. Serviço Social e Sociedade, 122, 294-316.

Mota, A. E. (2013). Serviço Social brasileiro: profissão e área do conhecimento. Katálysis, 16 (esp), 17-27.

Mota, A. E. (2014). Espaços ocupacionais e dimensões políticas da prática do assistente social. Serviço social e Sociedade, 120, 694-705.

Netto, J. P. (1991). Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social no pós-64. São Paulo, Brasil: Cortez.

Pereira, G. O. (2016). O preconceito e a prática profissional do assistente social: os valores e o projeto profissional crítico. Serviço Social em Revista, 18(2), 189-209.

Pires, S. R. A. (2013). Sobre a prática profissional do assistente social no sistema penitenciário. Textos & Contextos, 12(2), 361-372.

Santos, C. M. (2010). Na prática a teoria é outra? Mitos e dilemas na relação entre teoria, prática, instrumentos e técnicas no Serviço Social. Rio de Janeiro, Brasil: Lúmen Juris.

Setúbal, A. A. (2007). Desafios à pesquisa no Serviço Social: da formação acadêmica à prática profissional. Katálysis, 10 (esp), 64-72.

Silva, I. (2018). Microrresistência no cotidiano da prática pedagógica docente no curso de graduação em Serviço Social (tese de doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil.

Silva, M. M. e Lima, T. C. S. (2012). Serviço social e interdisciplinaridade na atenção básica à saúde. Serviço Social e Saúde, 11(1), 113-132.

Sousa, R. M. (2012). Participação e Serviço Social: Experiência de Formação do Conselho Local de Saúde em Sobral/CE. Serviço Social e Saúde, 11(1), 133-154.

Xavier, A. e Mioto, R. C. T. (2014). Reflexões Sobre a Prática Profissional do Assistente Social: relação teoria-prática, historicidade e materialização cotidiana. Textos & Contextos, 13(2), 355-365.

Ziliotto, D. M., Foscarini, M. & Berti, A. R. (2010). O Serviço Social em Indústrias de Grande Porte do Rio Grande do Sul. Textos e Contextos, 9(2), 218-228.
Sistema OJS - Metabiblioteca |